Counter-Strike: Global Offensive

Follow
9.3

Incrível

10

User Avg

Recorde os mapas mais icônicos de CS 1.6

O surgimento de jogos de tiro em primeira pessoa ocorreu no início dos anos de 1970, levando a uma rápida expansão do gênero em todo o mundo. A franquia Counter-Strike, naturalmente, é parte importante dessa história, tendo contribuído enormemente para o aumento de popularidade da modalidade.

Hoje, mesmo após mais de 20 anos desde o lançamento de suas versões iniciais, Counter-Strike segue uma tendência de crescimento, consagrando-se como um dos principais títulos do cenário competitivo. Prova disso é que a franquia possui presença garantida não apenas em torneios mundiais do gênero, como também nas principais plataformas de apostas, outro nicho que atravessa um momento de expansão – já sendo possível, inclusive, usar cartão de crédito em sites de apostas na hora de dar seu palpite acerca dos resultados dessas competições.

Então, é levando em consideração esse histórico de sucesso, que decidimos rememorar um dos principais clássicos da franquia, o CS 1.6, falando um pouco sobre seus mapas mais icônicos.

Aztec

Um dos cenários mais icônicos do CS 1.6 é o de_aztec, um mapa gigante que proporcionava aos jogadores a oportunidade de criar diversas estratégias, tornando as partidas bastante versáteis. Este era um mapa de detonação, fazendo com que o principal objetivo dos terroristas fosse destruir as ruínas astecas.

O de_aztec também está presente no Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO), que registrou recentemente seu recorde de jogadores simultâneos. Existe, ainda, uma outra versão – mais próxima do original – criada por fãs e disponível na loja da Steam.

Dust

O de_dust é outro cenário muito presente no imaginário de quem jogou CS 1.6. O mapa em questão tinha o deserto como pano de fundo e, nele, os terroristas possuíam a missão de explodir uma bomba. Uma curiosidade é que o cenário foi inspirado em screenshots vazadas de Team Fortress 2, que mostravam uma arena desértica.

O sucesso deste mapa resultou ainda em uma segunda versão, o de_dust2, que se tornou ainda mais famosa que a primeira. Existe, também, um terceiro mapa da franquia decorrente desse sucesso, sendo um dos cenários originais do CS:GO. Isso sem mencionar, é claro, as versões feitas por fãs que são encontradas em outros jogos, como Far Cry e Minecraft.

Pool Day

A fy_pool_day era, sem sombra de dúvidas, um dos mapas favoritos que quem jogava CS 1.6 nas lan houses. O cenário era formado por um grande corredor quadrado, com uma área aberta no meio onde estava localizada uma piscina. Durante o primeiro round, a missão era reunir armamentos e munição, mas como o mapa era muito aberto não havia muito o que fazer após do freeze time a não ser iniciar o tiroteio.

Na piscina, era possível encontrar granadas, enquanto a compra de itens, como colete ou escudo tático, era realizado na ponta do trampolim. Uma tática bastante manjada desse cenário era subir nas cabines dos banheiros e tentar acertar um oponente pelas costas. Hoje, uma versão do Pool Day está disponível para o CS:GO, podendo ser encontrado e baixado na loja da Steam.

Rio

Outro cenário emblemático do CS 1.6 era o cs_rio, que simulava uma favela carioca. Nele, a missão dos jogadores era resgatar reféns presos na comunidade. Instigante e polêmico, a ambientação imitava a topografia do morro, bem como as residências simples e vielas estreitas. Era possível entrar, inclusive, um campinho de várzea.

Uma das polêmicas envolvendo o cenário, ocorreu devido a um rap que poderia ser ouvido em determinados pontos do mapa, o que acabou por acalorar às discussões em torno da possibilidade da proibição dos jogos de tiros em lan houses. A música em questão fazia alusão às guerras de facções e era visto por muitos como uma forma de apologia ao crime organizado. Apesar disso, o mapa se tornou extremamente popular no Brasil, especialmente após o lançamento do filme Tropa de Elite, em 2007.

Bacharel em Administração de Empresas e Especialista em Marketing pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, fundador do SiteCS e da FC Web, trabalhando em desenvolvimento de sites e campanhas digitais desde 2002.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Lost Password