Em decisão inédita na justiça brasileira, site que fornecia programas para trapaças os conhecidos cheaters, foi desativado, sob pena diária de R$10.000 reais caso volte a funcionar. É um grande dia para o cenário de jogos online no Brasil, pois não é de hoje que os trapaceiros atrapalham em partidas online.

A Ongame distribuidora de vários títulos de games no Brasil entrou com a ação, agora esperamos que demais distribuidoras e desenvolvedoras de games sigam este exemplo, quem sabe chegaremos a um dia que os trapaceiros de plantão não conseguiram mais jogar em lugar algum!
Decisão inédita da justiça brasileira tira site de programas ilegais do ar
headshot
A justiça, em decisão liminar, mandou remover do ar o site Point Bad — famoso por trazer programas ilegais para hackers do jogo Point Blank —, após vitória da Ongame em processo judicial. A decisão é inédita no país e, caso o site ou o hack continue ativo, haverá uma multa de 10 mil reais por dia de infração.
As investigações em cima do site Point Bad acontecem desde o começo de maio quando a proposta foi apresentada ao juiz e, então, as medidas puderam ser tomadas. Neste momento, os sites, vídeos e páginas de redes sociais relacionados ao programa foram desativados e o programa em si não está mais em funcionamento.
Virando o jogo!
“Esta decisão vai abrir muitas portas para outros processos similares e, com certeza, vai ajudar o mercado brasileiro de games”, diz Helio Tadeu Brogna Coelho, advogado da Ongame. Todas as publishers e desenvolvedoras alocadas no país já podem respirar mais tranquilas, uma vez que o caso do Point Bad pode servir de referência para outros casos judiciais.
Para o resto do mundo (gamer), os brasileiros são considerados os jogadores mais tóxicos e desleais. Porém, com a queda dos sites que divulgam programas ilegais, este quadro pode, aos poucos, ser mudado se junto com a decisão judicial houver uma conscientização dos usuários quanto ao uso de vantagens ilegais no jogo.
A notícia promete dar uma chacoalhada no mercado gamer brasileiro, uma vez que os hackers vêm se espalhando pelos jogos gratuitos — principalmente nos jogos de tiro. O encerramento do site do Point Bad — que existe desde 2012 — é uma grande vitória para os usuários de Point Blank e para a Ongame.
“O que podemos tirar de mais importante dessa ação é o fato de que nossos usuários vão ter um serviço ainda melhor, além de mostrar que a justiça brasileira está aberta a entender e ajudar em casos futuros” diz Vinicius Sztibe, coordenador de Operações da Ongame.
Os usuários de Point Blank que jogam limpo têm motivos de sobra para comemorar a decisão judicial, mas a Ongame ainda continuará procurando, bloqueando e até mesmo processando sites de programas ilegais. Tudo para cuidar do bem estar de seus usuários e não deixar que nada atrapalhe seu momento de diversão.