No mundo dos games as competições de profissionais no Counter-Strike 1.6  é sem dúvida nenhuma um dos jogos mais duradouros e lucrativos de todos os tempos.

Mesmo com duas versões oficiais (Condition Zero e Source) e uma que está para chegar no mês de agosto ( Global Offensive ), gupos internacionais e brasileiros continuam investindo nessa modalidade, ciberesporte.

Integrantes do brasileiro paiN Gaming, grupo que viajará entre julho e agosto para competir em Espanha e Portugal: Felippe Martins, 18, Jean Gomes, 23, Willian Elias, 20, Gustavo Mekaru, 19, e Frederico Maia, 24
“Não gastamos nada com viagens e, a cada vitória em competição, ganhamos um bônus”, diz Felippe Martins, 18, um dos integrantes do time paiN Gaming.
Felippe Martins jogador profisisonal de Counter-Strike, e seus outros quatro parceiros viajaram no dia 5 de agosto para competir em Portugal e na Espanha. Os prêmios chegam em torno € 16 mil (R$ 40 mil).
O estudante do ensino médio, já vai ganhar aproximadamente R$ 2.400 pelos 20 dias de treino, e competições pela Europa, ele se diz confiante. “Treinando sete horas por dia, nosso único destino é a vitória.”
Já Willian Lemos, de 25 anos, que acompanha o time e é responsável pela transmissão por streaming das partidas, fez uma ressalva.  “Em Portugal, os meninos devem ganhar. Já em Bilbao [Espanha], onde o torneio vai ser muito maior e mais difícil, devemos ficar entre os três.”
Possuem tambem o Lemos que é o narrador das partidas, chegam atingir 4.000 espectadores.
SELEÇÃO BRASILEIRA
É uma especie de equipe concorrente , a SBG (Seleção Brasileira de Games) acabam de voltar da Suécia, onde os integrantes do grupo passaram nove dias treinando para um campeonato no qual foram eliminados pelos “anfitriões”.
O fundador e diretor dá SBG, Alexandre Borba Chiqueta, de 28 anos, disse que cada jogador ganha R$ 500 ” só por convocação”, além das despesas, o dinheiro vem dos patrocinadores.
Chiqueta disse que não vê um fim próximo para “CS 1.6”. “Dizem que a nova versão [‘Counter-Strike: Global Offensive’] vai matar o 1.6, mas isso eu ouço desde 2005.”