França vence Campeonato Mundial de Global Offensive

É amigos, o campeonato mundial de Counter-Strike: Global Offensive chegou ao fim, e com ele muitas emoções.

As duas equipes que chegaram até o final do campeonato vieram do mesmo grupo, e para os analistas foram merecidas chegar aonde chegaram.

França e Polônia se classificaram com o mesmo placar em pontos no Grupo C, deixando para trás a Holanda e os Estados Unidos.

Com uma mistura Titan / EnvyUs a França veio desbancando equipes como a Rússia e a Alemanha pelo caminho, e provava que tinha grandes chances de ser a vencedora.

A Polônia por sua vez eliminou a Suécia, que era uma das favoritas ao título nas semi-finais.

A Grande Final foi uma melhor de cinco, com os mapas: de_train, de_dust2, de_cobblestone e de_mirage.

No primeiro mapa os Poloneses atropelaram os Francos vencendo por 16 a 9, sendo 10 rodadas apenas no primeiro set.

Quem achou que os Franceses ficaram abalados não perdiam por esperar a virada fantástica e esmagadora vencendo os três mapas seguintes, todos eles com placares folgados, exceto à Mirage.

Os Poloneses vieram com tudo no último mapa da série, que foi emocionante, mas perderam por 16 a 14. O sniper polonês Grzegorz ‘SPZERO‘ Dziamalek não conseguiu carregar o time consigo mesmo com suas 25 kills.

Infelizmente o Brasil não participou desta edição do torneio mundial, mas estamos na torcida para que o cenário brasileiro cresça mais e mais!

A grande surpresa do torneio foi a equipe do Quirguistão que eliminou a Tunísia e conseguiu ficar entre os 8 melhores.

O ranking mundial ficou assim:

#1  França (50,000 U$)

#2  Polônia (25,000 U$)

#3  Suécia (7,500 U$)

#4  Rússia (7,500 U$)

#5  Alemanha(2,500 U$)

#6  Canadá (2,500 U$)

#7  Noruega (2,500 U$)

#8  Quirguistão (2,500 U$)

Walyson Vëras é um amante de Counter-Strike há mais de 10 anos, gosta de ocultismo, teorias da conspiração, vodka, chocolate e muita música eletrônica. Se juntou ao time do SITECS por volta de 3 anos atrás, já jogou profissionalmente, mas seus projetos foram por água abaixo por causa dos estudos, hoje é técnico em Redes de Computadores e estuda Produção Musical.

2 Comentários

  1. Ótima notícia Walyson. Continue assim!

    Replicar
  2. Muito bom mano, gostei muito

    Replicar

Deixa uma resposta

Your email address will not be published. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*