Vitality derruba Astralis e é campeã da BLAST Premier

14 dezembro 2020 | 282 | 0
Vitality derruba Astralis e é campeã da BLAST Premier

A equipe francesa deu uma grande dor de cabeça para os dinamarqueses e garantiu o título com uma vitória convincente.

A Vitality dominou a Astralis em Vertigo e Inferno, além de terem perdido pela diferença mínima na Dust2. Kévin “misutaaa” Rabier foi o destaque da série. Com um rating de 2.12 no primeiro mapa, o francês terminou com um ADR de 100.7 e um rating de 1.64 contando todos os três mapas.

https://twitter.com/TeamVitality/status/1338253290224672768

Vertigo

Vitality começou a série sem tomar conhecimento da Astralis. A equipe francesa embalou, na etapa inicial, oito rounds em sequência, deixando os dinamarqueses atordoados. Mesmo tendo a sequência parada no nono round, a Vitality manteve a vantagem e fechou a primeira metade, jogando como CT, por 12 a 3. Na troca de lados e sem muitos sustos, os franceses fizeram o necessário e fecharam o jogo de forma rápida, vencendo o mapa por 16 a 4.

Para provar que os franceses não estavam de bobeira, Lukas “gla1ve” Rossander, da Astralis, terminou o mapa com apenas 2 kills e 17 mortes.

Dust2

No mapa mais equilibrado da série, foi a vez da Astralis dar um pontapé avassalador. Se os franceses abriram 8 a 0 no primeiro mapa, os dinamarqueses não deixaram barato e aplicaram o mesmo resultado na Dust2. Assim, também pelo lado CT, a Astralis venceu o primeiro half por 11 a 4.

Entretanto, a Vitality não queria cair sem lutar. Os franceses foram atrás do resultado, fechando a defesa e não deixando que o jogo acabasse rápido. Ainda chegaram a ficar na frente, virando a partida para 14 a 13, mas os dinamarqueses acordaram no final, viraram novamente e fecharam o caixão vencendo por 16 a 14.

Inferno

Mais uma vez, a Astralis não foi párea para o lado CT da Vitality. Mesmo vencendo o primeiro round, como TR, os dinamarqueses não se encontraram na primeira metade e viram os franceses deitarem e rolarem em cima deles. A Vitality voltou a ter um ótimo começo como CT e terminou o primeiro half vencendo no placar por 12 a 3.

Com uma mão na taça e poucos rounds para gritar “campeão”, o time francês manteve o esforço e acabou o mapa logo no sexto round como TR, com o placar de 16 a 5.

Igor

Estudante de Publicidade e Propaganda, Athleticano sofredor, pintor de paredes do CS e escritor.

Comentários