Todos sabem que a passagem de esA como ad carry da KaBuM foi rápida, tão rápida que nem houve uma estréia oficializada. Antes de jogar pela nova organização, o jogador deixou a equipe e se transferiu para a Keyd.
esA estava desde dezembro na comissão técnica, mas ficou banido durante um ano por elojob, então só a partir de março pode voltar a disputar campeonatos oficiais da Riot. O atirador formaria a bot lane com o suporte Ziriguidum, porém o duo nem chegou a acontecer. Eles jogariam juntos a promoção, mas esA preferiu garantir que disputaria a divisão de elite do CBLoL 2015 no 2º split e aceitou a boa proposta da Keyd.

cxnReGG
Antes mesmo de sair da gaming house da KaBuM e ser anunciado a contratação do mesmo pela Keyd, ele já havia, por padrão do time da Keyd, mudado seu nick para Vivo Fibra kesA.
E não acaba por aí. KaBuM entrou na justiça com uma cobrança pelo inadimplência contratual contra a transferência de esA para a Keyd, já que o jogador estava com contrato vigente com a KaBuM.
4MZUSk6
A KaBuM está cobrando da Keyd, judicialmente, o valor de R$95.506,08. O valor foi calculado com base nos salários dos jogadores, o valor de salários que esA teria até o fim de seu contrato, importância do jogador na equipe e gastos que a KaBuM teve no período em que manteve esA mesmo banido das competições. O documento cita, inclusive, que a KaBuM apostava na qualidade do jogador e por isso manteve o mesmo sob contrato mesmo estando banido das atuais competições oficiais.
Qc6nkYF