Semana decisiva no cenário nacional

Essa semana temos duas vezes o maior clássico do atual cenário brasileiro de Counter-Strike: Global Offensive, de um lado os Mustaches da Bigggods e do outro os lendários players da G3x.

São dois duelos por diferentes torneios um que ocorre hoje (21/11/2016) pela semi-final da Liga Esea Open S 23 Brasil na qual o campeão ganha uma vaga para jogar a Global Challenge S 23 e outro válido pela final da XLG que ocorre ás 17 horas de amanhã (dia 22/12/2016).

O último jogo entre as duas equipes foi na final da ESL Brazil Premier, disputado no palco da ESL Pro League Final no ginásio do Ibirapuera, talvez foi o jogo que consagrou Lucas “Steel” Lopes e fez com que a Immortals olhasse para ele como um possível substituto para Wilton “Zews” Prado na equipe. Um jogo atípico a Biggods no primeiro mapa acabou não se encontrando e perdeu o primeiro mapa por 16-0 na cobblestone.

“Pô sempre fiz ótimos jogos contra eles, mas só venci eles uma vez, dessa vez é a primeira vez que tenho mais chances de vencer eles do que eles me vencer”

(KHTEX falando sobre o jogo contra Biggods na final da XLG)

15138565_1471881642829934_8180270685053873192_o

Transmissão fica por conta do nosso amigo Heleno :)

Nessa semana veremos mudanças por parte da G3x, com a saída de Steel e a entrada do paulistano Denner “KHTEX” Barchfield o que muda? … Vamos aos pontos cruciais…

  • Ponto negativo é que por causa das regras da ESEA, Alexandre “Gaules” Gaules terá que jogar no lugar de KHTEX. Vantagem para quem? Gaules chega para deixar a line da G3x ainda mais pesada no aspecto de experiência e para uma decisão isso é de suma importância.
  • A renovação na equipe, embora KHTEX seja um player que já rodou muitas equipes como Dai Dai, sitecs.net, Opertion Kino, Biggods, CNB e INTZ, KHTEX tem apenas 20 anos de idade e terá ao seu lado as lendas do cenário Jean “Mch” D’Oliveira, Bruno “Bit” Fukuda e Vito “Kng” Giuseppe.
  • KHTEX chegou mostrando para que veio, no último torneio que a line da G3x jogou que foi o qualificatório da WCA ele simplesmente acrescentou e muito tendo sempre um K/D positivo e inclusive no último jogo onde anotou 51 kills em dois mapas, agora mais entrosado vem para mostrar o que está preparando junto com sua equipe para está final da XLG.
  • Diferença de jogo, enquanto Steel contribuía e muito para a construção tática do time por sua maneira inteligente de jogar, KHTEX contribui para a aplicação da tática e o que faz com que suas estatística sejam excelente.

Durante nossos dias na ESL Pro League, tivemos o prazer de conversar com os jogadores tanto da G3x quanto da Biggods e analisamos o que aconteceu para um resultado tão ruim, dos quais podem ser outros pontos destacados:

  • Talvez o susto ao ver o público, querendo ou não, comparando as equipes a experiência dos players da G3x é de enorme diferença e isso talvez tenha sido um ponto crucial na final da ESL Brazil Premier.
  • Psicológico abalado, levar um 16-0 no primeiro mapa é um tanto quanto desmoralizador e o pessoal da Biggods não conseguiu se impor ao máximo no segundo mapa e fez com que eles anotassem apenas sete rounds.
  • A Biggods parte com um trunfo ao seu lado Dennis “Dzt” Fischer e Alef “Tatazin” Pereira tem no curriculum de cada um desbancar o favoritismo assim como foi ás duas vezes que venceram o minor da América do sul.

Sem dúvidas teremos dois grandes jogos e praticamente duas finais, logo que, estamos falando das duas melhores equipes de CS:GO do Brasil.

 

GG!

By
Bacharel em administração, Palmeirense fanático, palestrante desmotivacional, adepto a barba de mendigo, amante de qualquer Fps, estudante de CS:GO aficionado e newbie nas horas vagas. :)

Deixa uma resposta

Your email address will not be published. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*