Fallen vs. Valve

O ícone do Counter-Strike brasileiro Gabriel ‘FalleN‘ Toledo escreveu um blog no qual ele critica abertamente as atitudes da desenvolvedora do Counter-Strike,  Valve Corporation sobre o seu mais novo e grande trabalho, o Global Offensive que é o novo episódio da saga Counter-Strike.

O cenário apagado do Brasil e da américa latina, a falta de Campeonatos e a falta de atitude da Valve foram os alvos de FalleN desta vez.

Desde que o Global Offensive foi lançado em agosto de 2012, nós do Brasil estamos desesperados por campeonatos para mostrar nossa habilidade e influência no mundo dos games, mas nunca tivemos até agora, o último campeonato que tivemos foi a Razer Challenge,e o atual foi a ESEA Brasil Championship que foi anunciada no domingo.

Na américa do norte ainda é melhor, mas nada demais.

Na europa a situação é melhor, os torneios em LAN são poucos distantes entre si, os prêmios são razóaveis, ainda sim que na época do Counter-Strike 1.6 os prêmios eram maiores e os torneios consequentemente mais emocionantes.

GameGune foi a primeira a abandonar o Counter-Strike como na notícia anterior que postamos aqui,m WCG também não quer organizar nenhum torneio de Counter-Strike esse ano. E agora?

FalleN critica a Valve e bate de frente em defender jogadores que se encontram na mesma situação que ele.

                                                      FalleN fala sério diante da Valve

“Torneios internacionais? Eles ainda estão acontecendo, não tão grande como eles eram, mas eles ainda não têm o suporte da Valve”

“Valve não foi capaz de lutar por um lugar para CS: GO no WCG, que é uma competição que coloca os países que não estão no centro das atenções Europeia em torneios.”

“Eu esperava muito mais do CS:GO e do desenvolvedor por trás deste jogo eu esperava algum incentivo para que todos gostariam de mudar de jogos, em vez de sentir-se obrigados a mudar, porque não há outra opção.”

“Falta de apoio da Valve nos afeta diretamente. A comunidade está buscando alternativas, e quantos jogadores já decidiram jogar outros jogos?”

Diante disso tudo preferimos o Counter-Strike 1.6, mas fazer o quê? é esperar o último capítulo desta novela.

 

Walyson Vëras é um amante de Counter-Strike há mais de 10 anos, gosta de ocultismo, teorias da conspiração, vodka, chocolate e muita música eletrônica. Se juntou ao time do SITECS por volta de 3 anos atrás, já jogou profissionalmente, mas seus projetos foram por água abaixo por causa dos estudos, hoje é técnico em Redes de Computadores e estuda Produção Musical.

3 Comentários

  1. estou com ele eu também gosto mais do 1.6 do que do GO! e quando disseram que todos os proficionais foram para o GO! e deixaram o 1.6 eu fiquei triste, porque treinei 9 anos! para poder entrar numa competição de Counter-Strike 1.6 e agora já não há torneios com o 1.6 e sim com a merda do GO! fds!

    Replicar
  2. ADORO ESSE JOGO QUERIA MUITO JOGAR ELE.

    Replicar
  3. Concordo, eu prefiro o 1.6, o CS GO é um belo gráfico,novas granadas. Mais ainda prefiro o 1.6. Acho que a maioria concorda,há muito poucos campeonatos, Eu me pergunto oque será desta vez ? estou muito triste, quero meu 1.6 de volta ;(.

    Replicar

Deixa uma resposta

Your email address will not be published. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*